top of page

Paper Trail - Análise



“Meu nome é Paige. 18 anos. Aspirante a astrofísica. Adoro escrever no meu diário, fazer origamis… ah, e dobrar o espaço-tempo.”


Todo mundo precisa de hobbies, certo? Mas o que você faria se um dos seus hobbies lhe permitisse literalmente dobrar o tecido da realidade? Bom, é exatamente isso que você ajuda a Paige a fazer em sua jornada até a universidade em Paper Trail.



Paper Trail é lindo, divertido e desafiador. Daquele tipo de jogo em que resolver um dos puzzles te faz por vezes se sentir um gênio, enquanto outras vezes te faz pensar como danado você não havia pensado naquela solução antes, depois de ter ficado um tempo mais longo do que gostaria de admitir tentando encontrar algo que estava bem debaixo do seu nariz. Ou seja, justamente o equilíbrio perfeito!


Porém não tema! Se você se sentir preso, por não ter tanta experiência com jogos do gênero ou só por querer uma jornada mais tranquila, o jogo te dá a possibilidade de checar dicas para cada fase, onde ele mostra quantas dobras são necessárias para solucionar o puzzle da vez.



Jogabilidade e mecânicas


E em falar em dobras, essa é justamente a mecânica principal do jogo. O mundo que o jogo retrata é feito de papel, e assim como num origami, você pode e deve dobrar os cantos das fases para solucionar os puzzles, para prosseguir na história ou para coletar os colecionáveis opcionais bastante fofos em formatos de origami.


O jogo também esconde alguns segredos e easter eggs para aqueles que gostam de desvendar todos os detalhes, e estes detalhes estão escondidos ao redor das fases, mas também nos painéis dobráveis de história que intercalam os estágios do jogo. E nisso entra a outra parte da mecânica, que te permite ver o outro lado do papel, o que ajuda bastante na solução dos puzzles, uma vez que é necessário combinar o que está na frente com o que está atrás da folha.



Premissa


Paper Trail conta a história de Paige, uma garota de 18 anos recém aprovada numa universidade, longe de sua casa na cidade esquecida de Dobra-mar, onde mora com seus pais. Com estes, relutantes à ideia de sua filha se mudar, proibindo-a de ir, Paige se vê obrigada a sair de casa na calada da noite para ir atrás de seu sonho.


A partir daí acompanhamos Paige em sua jornada, passando por diversos biomas e cenários diferentes até seu destino, sendo no total 9 estágios e um epílogo. Em seu caminho até a universidade, Paige encontra diversos desafios, conhece e muitas vezes ajuda personagens bastante singulares, vivendo experiências que a fazem se lembrar de seu passado, e por meio de flashbacks passamos a conhecer mais de sua história e de sua relação com seu irmão gêmeo.



Considerações finais


Paper Trail é um projeto que venho acompanhando há alguns meses, desde quando soube de sua existência, e a ideia do jogo me pegou de cara! Me lembrou Carto, que eu havia jogado pouco tempo antes, que também tem um mundo feito de papel, mas Paper Trail tem sua própria essência e através de seus visuais inspirados em gravuras e pinturas aquarela com suas belíssimas cores, sua trilha sonora serena e sua história simples, mas envolvente, o jogo mostra o carinho e o cuidado que os desenvolvedores tiveram nessa obra.


Além disso, durante as 14 horas em que joguei e rejoguei mais duas vezes, não encontrei nenhum bug ou problema de performance. Também fico feliz em dizer que o jogo está legendado em português do Brasil, com narração na voz da personagem principal apenas em inglês ou japonês.


É uma recomendação fácil para aqueles que já gostam de jogos de puzzle e, devido às dicas que o jogador pode optar por usar, estendo a recomendação para aqueles que se interessaram pelo jogo e desejam mergulhar o pé no gênero.


Já para aqueles preocupados que os puzzles sejam fáceis demais, estes são simples, mas não fáceis, e à medida que passam os estágios, mesmo que você tenha se familiarizado com as mecânicas, não necessariamente vai tornar fácil ou deixar óbvio como solucionar um puzzle, principalmente se optar por alcançar os coletáveis. Falando da minha experiência pessoal, já tendo jogado um número considerável de jogos de puzzle, achei os puzzles desafiadores de uma forma satisfatória, optei por não usar dicas e levei aproximadamente 8 horas para completar o jogo pela primeira vez enquanto coletava todos os colecionáveis, que foram as partes que me tomaram mais tempo.



Paper Trail foi desenvolvido pela Newfangled Games, estúdio fundado por Henry Hoffman e Frederick Hoffman. Henry também desenvolveu Hue, um jogo de puzzle desenvolvido pela Fiddlesticks Games e publicado pela Curve Digital em 2016.


Paper Trail foi lançado em 21 de maio de 2024 e está disponível atualmente para PlayStation 5, PlayStation 4, Xbox Series X/S, Xbox One, Nintendo Switch, PC/Steam e Netflix Games.






A análise faz parte da parceria PS Talks e Puzzle Pilgrim


Foi escrita por @Michael_A_F_M


A cópia do jogo foi cedida pela equipe da Newfangled Games

留言


bottom of page