top of page

Shadow of the Colossus é o game da minha vida!


Shadow of the Colossus é meu game favorito, mas poucas vezes eu disse o porquê dele ser, para mim, o melhor game já feito. Irei abordar minha história com o game e alguns pensamentos subjetivos e emocionais sobre ele.


Amo video games desde a infância. Tive pouco tempo com o PS1 e fui logo para o PS2. Lá, fui apresentado à God of War e me diverti por muitas horas com o senso de escala grandiosa, visuais incríveis e ação desenfreada, até que ao perguntar por um game semelhante em uma loja de games, o vendedor me mostra Shadow of the Colossus. Eu tinha 7 anos e isso foi em 2006 Ao jogar as primeiras horas estava claro que não tinha nenhuma relação com Gof of War, com exceção da escala das criaturas, mas eu não liguei, pois outra coisa estava me prendendo.


Posso dizer que foi a primeira vez apreciei arte, e mais do que isso, entendi o que era arte. Pra mim, arte é algo que te causa uma impressão, uma reação ou um sentimento, arte não é estática. Ela só existe se tiver alguém para ressonar com ela.

Foi o primeiro game que me fez sentir algo. Foi a primeira obra que fez me importar, que ao terminar continuou comigo e que eu continuei jogando por anos. E a cada vez que eu voltava algo, me surpreendia. E quando meu senso crítico foi se desenvolvendo, esse foi o único game que continuou perfeito e eu apreciava mais a cada dia que passava.



Ele é um jogo extremamente simples e focado e essa é a magia dele. Ele não tenta fazer algo que não precisa, não abarrota seu mundo de conteúdo desnecessário. Seu diretor tinha uma visão e ela permaneceu até o fim da jornada. Shadow of the Colossus é um game de Puzzle e Aventura e não ação. Ele não tem lutas e bosses, tem desafios e obstáculos.


Ele é um game único e acima de tudo, não existe nada parecido. E tudo que ele tenta executar, faz com primor. Sua égua e melhor amiga, Agro, não é um veículo, é um animal. Ao cavalgar você não a controla, você controla o Wander dando comandos de direções a ela, e isso é incrível. Faz com que ela se torne palpável, não apenas uma ferramenta. Ela não tem problemas de controle e nem de movimentação. É do jeito que é pra ser. Você precisa aprender a controlar e, quando consegue, percebe que seu vínculo chegou ao máximo.


A própria movimentação do Wander tem animações e fluidez impressionantes, não é pra ser precisa e perfeitamente controlável, é pra parecer um garoto se movimentando, tropeçando e perdendo o equilíbrio. Lutando para superar um obstáculo que à primeira vista parece impossível. Todo o gameplay e design foram feitos para ser um game de puzzle, mas que não se parece com nenhum outro.


Em vez de encher o mapa com coisas inúteis e colocar elementos de RPGs, o game usa tudo para imersão e propósito. Você tem apenas um arco e uma espada, o mundo tem árvores com frutos que aumentam sua vida, templos para salvar seu progresso e lagartos para aumentar sua stamina. E tudo isso é opcional. Tem um dos mundos mais impressionantes da época, sendo completamente vazio, que não é utilizado em seguimentos pré-definidos. Ele está lá como alicerce para a construção desse mundo, e tudo de propósito.


Ele não é um game que pega na sua mão e coloca marcadores no mapa para te mostrar sua beleza. Você explora esse mundo por vontade própria, por curiosidade em ver essas terras mágicas, proibidas e desoladas que um dia foram habilitadas. É muito interpretativo. É como uma pintura e você busca descobrir, assim como a história, ela é na maior parte interpretativa, existem coisas certas mas é muito pouco - spoiler - como a teoria popular de você ser o vilão do game, o que é incrível, e os colossos serem pacíficos, mas eu nunca vi isso quando joguei, já que o sangue dos colossos é negro e corrompido pela alma de Dormin. Pra mim nunca foi uma chacina de criaturas pacíficas e sim a purificação de criaturas corrompidas, prendendo essa alma negra em você, se tornando o receptáculo para o renascimento de Dormin. E tudo isso para ressuscitar o amor da sua vida.


A estética do game é muito poderosa e marcante. Tem uma identidade visual estonteante com vistas incríveis, desde vales, florestas, cachoeiras e até praias, mas grande parte da experiência não teria impacto se não fosse pela OST que pra mim é a melhor e mais genial já criada dentre qualquer mídia, nenhuma outra consegue emanar tamanha magia e vida quanto a desse game, onde já cheguei a me emocionar apenas ouvindo casualmente. Ela sempre me transporta para as terras desoladas do game e a sensação única que permeia aquele mundo.


O gameplay e design não levam o crédito que merecem. O jeito que o game te ensina é brilhante. O primeiro colosso te ensina a atacar pontos para conseguir escalá-lo. O segundo ensina a usar o arco pra liberar uma maneira de escalar. O terceiro usa o ensinamento do arco do segundo colosso e o ponto fraco do primeiro (2 + 1= 3) e também ensina como usar o cenário pra vencer. O quarto usa o cenário para atacar o ponto fraco (3+1=4), já o quinto usa o arco ensinado no segundo e o cenário para vencer do terceiro colosso (3+2=5). E assim o game te ensina a como encarar os próximos. É simplesmente genial como isso foi feito e, até o fim, surpreende com novos elementos, sem nunca ficar repetitivo. A limitação do PS2 em ter apenas 16 colossos pode ter salvado o game de se perder. É um número perfeito que não deixa a jornada maçante e desnecessariamente longa.


E no fim, é isso. É difícil descrever esse game objetivamente pois ele é uma obra de arte que não depende apenas da obra, e sim de quem está jogando. É mais sentir do que ver. Ele conversa de uma forma diferente para cada um dependendo da época da sua vida, de seus gostos, de sua história e convivências. E isso que faz ele ser o game mais especial já feito. Não digo que ele não é um game "para todos". Na verdade ele é um game diferente para cada um. E no meu caso, o melhor jogo já criado e uma das obras que definiram minha vida. Ele me inspira, me emociona, me surpreende, me prende, me entretém, me deslumbra e me faz refletir sempre que coloco as mãos no controle ou apenas penso sobre as incontáveis horas que passei nesse mundo absorvendo sua atmosfera e sentimento.



Comments


bottom of page